Fundos de Investimentos

Trata-se de uma comunhão de recursos, constituído sob a forma de condomínio e destinado à aplicação em ativos financeiros, entre eles títulos da dívida pública, ações, debêntures, moedas e derivativos

O que são Fundos de Investimentos?

Os fundos de investimento são um tipo de aplicação financeira no qual um ou mais investidores (cotistas) agrupam seus recursos para realizar aplicações em ativos mobiliários ou imobiliários.

Trata-se de uma comunhão de recursos, constituído sob a forma de condomínio e destinado à aplicação em ativos financeiros, entre eles títulos da dívida pública, ações, debêntures, moedas e derivativos.

Quanto mais diversificado é o fundo, menor é o risco.

Vantagens de se investir em Fundos de Investimentos

Diversificação

Portfólio variado

Gestão especializada

Tomada de decisão mais assertiva

Praticidade

Não é preciso fazer o acompanhamento da liquidez dos ativos

Liquidez

Resgate de cotas com rapidez

Redução do custo de corretagem

Valor diluído entre todos os cotistas

Taxas

Taxa de Administração
Percentual sobre patrimônio do Fundo, pago anualmente pelos cotistas, referente à prestação de serviço do gestor, do administrador e das demais instituições presentes na operacionalização do dia a dia. Pode variar de instituição para instituição e de produto para produto.

Taxa de Saída
Paga sobre o montante total resgatado, caso o cotista queira vender suas cotas com um prazo de liquidação e cotização inferior ao prazo de resgate padrão do fundo. A taxa de saída estará prevista na lâmina e no regulamento de cada fundo, se for aplicável.

Taxa de Performance
É cobrada do cotista semestralmente (desde que prevista em seu regulamento) se a rentabilidade do Fundo superar a de um indicador de referência (benchmark). Tem o objetivo de remunerar uma boa gestão.

Tributação

Segundo determinação da Secretaria da Receita Federal, os Fundos de Investimento são classificados em três categorias para efeitos de Imposto de Renda: Fundos de Ações, Fundos de Tributação de Longo Prazo e Fundos de Tributação de Curto Prazo.

A incidência do imposto dependerá do período em que cada aplicação permanecer no Fundo. As alíquotas variam de 15% a 22,5%.

Come Cotas
O Imposto de Renda dos Fundos de Investimento é recolhido no último dia útil dos meses de maio e novembro. Para isso será usada a menor alíquota de cada tipo de Fundo: 20% para Fundos de Curto Prazo e 15% para Fundos de Longo Prazo. Assim sendo, a cada seis meses os Fundos automaticamente deduzem esse Imposto de Renda dos cotistas, considerando o rendimento obtido nesse período. A cobrança desse imposto é efetuada em quantidade de cotas, ou seja, calcula-se o número de cotas proporcional ao valor financeiro referente ao IR devido e diminui-se esse número do total de cotas que o cliente possui.

IOF
O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incide sobre o rendimento nos resgates feitos em um período inferior a 30 dias. O percentual pode variar de 96% a 0%, dependendo do número de dias decorridos da aplicação, incidindo sobre o rendimento do investimento.

Investimentos

Mercado Financeiro

Receba nossos conteúdos

Fique por dentro do mercado financeiro.